Mas cá entre nós, não existe um ser tão belo quanto ele. Não existem diamantes em joalheria alguma, que possa ter o brilho que ele possuí no olhar. Não existem flores em jardim algum, que possua o perfume cativante que ele possuí em sua nuca. Não existem doces em confeitaria alguma, que sejam tão doce quanto o sabor que há naqueles lábios rosados e carnudos. Não existem cortes ou produtos de salão de beleza algum, que sejam capazes de deixar o cabelo tão perfeito quanto o seu cabelo todo encaracolado. Não existe barbeador algum, que possa aparar a barba tão bem quanto ele apara a sua. Ele é moreno, me faz se derreter toda por ele. E não há nenhum tipo de estrela, nenhuma espécie de borboleta, nenhum dia ensolarado de verão, nenhum pôr do sol á beira do mar, que possa ser mais belo do que ele. Simplesmente não há.
Perfeita do perfeito. 
Eu não tô triste, mas também não estou feliz. Tô com preguiça de apostar em algo novo, depois de ver tudo que era meu desandando. Tô sem paciência para construir algo, para depois ter de ver tudo desmoronar. Não dá mais, entende? Nem conseguir ficar triste, eu consigo. É só uma pontinha de solidão, de não ter ninguém para pegar na mão. Só isso. E passa, sempre passa.
Poetizar flores. 
É difícil encontrar quem diz o que pensa, assim, sem rodeios ou disfarces amigáveis. Pensar, apesar de simples, não é um exercício feito para todos. E dizer o que pensa - não o que parece ser conveniente - é um trabalho árduo para poucos. O mundo parece se calar diante do próprio mundo. Opiniões contrárias não são bem vindas, e por isso também não são expostas. Eles querem que você pense igual, sem questionar o porquê. Ou melhor: Eles querem que você não pense, assim jamais questionará nada. Quem tenta gritar para as flores quando centenas gritam para as montanhas é passado despercebido, é passado como louco, é passado pro passado. A gente perdeu uma capacidade essencial: Ouvir. E não me refiro apenas ao que está a nossa volta, como as buzinas dos carros ou o barulho do mar. Eu me refiro a escutar o que, na maioria das vezes, sequer tem algum barulho. Como escutar o ruído baixinho enquanto trovões bombardeiam o céu. E o ruído somos nós mesmos, enquanto os trovões são todos aqueles nos privam de sermos o que somos. Por isso, chega. Chega de se excluir. Chega de dizer que está suficiente, quando na verdade está uma porcaria. Chega de sorrir amarelo pros tapas na cara sem piedade. Chega de esconder o rosto por vergonha, a alma por pudor e a voz por educação. Não deixemos que nos calem com panos cobertos de falsidade. Diga o que precisa quando achar preciso. Não balance a cabeça concordando com tudo, porque discordar também é um direito seu. E ter opinião própria é um direito de todos.
Capitule.
Eu pegaria uma granada por você, colocaria minha mão numa lâmina por você, pularia na frente de um trem por você, sabe que eu faria qualquer coisa por você. Eu passaria por todo esse sofrimento. Levaria um tiro bem no meu cérebro. Sim, eu morreria por você, amor. Mas, você não faria o mesmo.
Bruno Mars
Você é uma daquelas pessoas que o mundo não merece. E eu sinto muito por não poder te proteger dessa gente ruim, que ainda não aprendeu a amar. Você cabe no que diz, sem tentar ser mais do que realmente é. Você acontece sem esforço, e tem cheiro de paz. Você é incrível, só não percebe porque ainda não aprendeu a se ver com os olhos da alma.
A menina e o violão. 
Confesso que foi bom, me fez feliz, me fez sorrir, mas acabou. O prazo de validade venceu, a bondade acabou e a idiotice desapareceu. Quem ontem esperava um pedido de desculpas, hoje espera nem ver seu rosto. Foi bom, mas passou, acabou, e às vezes assim que deve ser.
Desconhecido.
Hoje eu tive um pesadelo,você me pedia socorro e eu estava preso a algo e não pude ajudar. Quando meu despertador tocou acordei chorando. Meu peito doía, ainda dói. Eu queria te ligar, te procurar, eu queria te contar, queria perguntar se você estava bem e ouvi você falar que não passou apenas de um pesadelo. A sua voz tinha esse poder, ela me dava confiança, passava conforto e calmaria, era lindo ouvir te amo vindo dos teus lábios. Mas eu não te procurei, ao invés disso fiquei ali, sentado, olhando para vasta escuridão, chorando feito uma criança desesperada. Eu não sou de correr, já dá pra ver pelo meu físico, quem dirá eu correr atrás de alguém e com você, também não seria diferente.
João Paulo Ferreira.
Não nasci para ser adequada, coerente, adorável. Nasci para ser gente. Para sentir de verdade. Tenho vocação para transparências e não preciso ser interessante o tempo todo. Por isso, não espere que eu supere as suas expectativas: às vezes, nem eu supero as minhas.
Marla de Queiroz.
Estou cansado de ser vilipendiado, incompreendido e descartado quem diz que me entende nunca quis saber aquele menino foi internado numa clínica dizem que por falta de atenção dos amigos, das lembranças dos sonhos que se configuram tristes e inertes como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha e Clarisse está trancada no banheiro e faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete deitada no canto, seus tornozelos sangram e a dor é menor do que parece quando ela se corta ela se esquece que é impossível ter da vida calma e força viver em dor, o que ninguém entende. Tentar ser forte a todo e cada amanhecer uma de suas amigas já se foi quando mais uma ocorrência policial, ninguém me entende, não me olhe assim com este semblante de bom-samaritano cumprindo o seu dever, como se eu fosse doente como se toda essa dor fosse diferente ou inexistente, nada existe pra mim, não tente. Você não sabe e não entende e quando os antidepressivos e os calmantes não fazem mais efeito. Clarisse sabe que a loucura está presente e sente a essência estranha do que é a morte mas esse vazio ela conhece muito bem de quando em quando é um novo tratamento mas o mundo continua sempre o mesmo, o medo de voltar pra casa à noite. Os homens que se esfregam nojentos no caminho de ida e volta da escola a falta de esperança e o tormento de saber que nada é justo e pouco é certo de que estamos destruindo o futuro e que a maldade anda sempre aqui por perto, a violência e a injustiça que existe contra todas as meninas e mulheres, um mundo onde a verdade é o avesso e a alegria já não tem mais endereço. Clarisse está trancada no seu quarto com seus discos e seus livros, seu cansaço. Eu sou um pássaro me trancam na gaiola e esperam que eu cante como antes, eu sou um pássaro me trancam na gaiola mas um dia eu consigo resistir e vou voar pelo caminho mais bonito, Clarisse só tem quatorze anos.
Clarisse, Legião Urbana. 
Aos 17 anos todo mundo é poeta, junto com as espinhas da cara, todo mundo faz poesia. Homem, mulher, todo mundo têm seu caderninho lá dentro da gaveta, e têm os seus versinhos que depois ele joga fora ou guarda como mera curiosidade. Ser poeta aos 17 anos é fácil, eu quero ver alguém continuar acreditando em poesia aos 22 anos, aos 25 anos, aos 28 anos, aos 32 anos, aos 35 anos, aos 40 anos, eu estou com 41, aos 45 anos, aos 50, aos 60 anos, até você encontrar um poeta, por exemplo, como Drummond ou como o admirável Mário Quintana que são poetas que estão fazendo poesia há mais de 60 anos e há mais de 60 anos que a poesia é o assunto deles. Então eu acho que 90%, mais! 99% dos poetas que estão fazendo poesia hoje, daqui a dez anos eles vão estar fazendo outra coisa, porque vem a vida, vem os filhos, vem preocupações com dinheiro, vem as ambições do consumo, vem a necessidade de comprar isso, comprar aquilo, de adquirir uma casa na praia e tal, e tudo começa a se tornar mais importante do que a poesia. A poesia é uma espécie de heroísmo, você continuar ao longo dos anos acreditando nessa coisa inútil que é a pura beleza da linguagem, que é a poesia, é um heroísmo, é uma modalidade quase, às vezes eu gostaria de acreditar, de santidade. É uma espécie de santidade da linguagem. Porque a poesia não vai te fazer rico de jeito nenhum, é muito mais fácil você abrir uma banquinha e vender banana do que fazer poesia. Quer dizer, para você continuar acreditando em poesia é preciso muita santidade.
Paulo Leminski em Ervilha da Fantasia.   
Eu sou essência agora, outrora serei menos que nada. Sobrevivo cada dia aos tropeços. E com o embaçado de minha visão vou chegando onde nunca imaginei chegar, ou até mesmo nunca quis estar. Minha fé morreu junto a sabedoria do ser humano. Olho para um céu sem estrelas durante a noite e acinzentado durante o dia, e pergunto-me “por quê diabos deixamos chegar a esse ponto?”. Estou prestes a me afogar em um oceano de desilusões, e que se dane o amor. Ninguém nunca seria capaz de me amar. E se é mesmo isso que da sentido a vida, eu morro a cada minuto passado. Existe pior morte, do que aquela que nos faz deixar de existir aos poucos? Será mesmo essa minha sina? Viver e morrer só?
— Isabeli 
Se eu demorar, me espera.
Se eu te enrolar, me empurra.
Se eu te entregar, aceita.
Se eu recusar, me surra.
Se eu sussurrar, escuta.
Se eu balançar, segura.
Se eu gaguejar, me entende.
Se eu duvidar, me jura.
Se eu for só teu, me tenha.
Se eu não for, me larga.
Se eu te enganar, descobre.
Se eu te trair, me flagra.
Se eu merecer, me bate.
Se eu me mostrar, me veja.
Se eu te zoar, me odeia.
Mais se eu for bom, me beija.
Se tu ta bem, eu to.
Se tu não tá, também.
Não to legal, não to.
Pergunta o que é que tem.
Tu diz que tá tranquila, mais eu sei que não tá.
Tu ta bolada, filha? Vamos desenrolar.
Se eu te amar, me sente.
Se eu te tocar, se assanha.
Se eu te olhar, sorrir.
Se eu te perder, me ganha.
Se eu te pedi, me dá.
Se for brigar, pra que?
Se eu chorar, me anima.
Mais se eu sorrir é por você!
Projota.  
Sabe o que eu acho? Que já passou da hora de pôr as mágoas ao sol, estender os braços ao vento e criar uma bela história para viver, seguir em frente, sem olhar para atrás, sem pesos de consciência, sem mirabolantes castelos em mentes. Se permitir seguir no ritmo do silêncio até finalmente entender que a vida se faz dos pequenos momentos e não das buscas constantes pela felicidade que sempre escapa das nossas mãos, quando, em vez de enxergá-la ao redor, tentamos alcançá-la nas estrelas.
Fred Medeiros.